logo-site
10 02

Rony Gomes

Estamos ganhando cada vez mais espaço na mídia, skatista ser tratado como vagabundo ou marginal só rola com quem tem a cabeça muito fechada e parou no tempo, a evolução é constante, temos centenas de marcas no mercado e muitas outras surgindo de tempo em tempo, andar de skate é uma profissão e ninguém pode negar, infelizmente no país e principalmente aqui no Espírito Santo é uma profissão difícil de se conseguir sucesso financeiramente, mas todos conseguem se virar, dos meus amigos do skate quem já não é mais patrocinado pelo pai corre atrás e busca uma formação ou já está com um emprego, então isso de vagabundo não rola mais, hoje em dia é comum principalmente no verão ver nossa Camburi ou as pistas de skate lotadas de novos praticantes, as vezes isso atrapalha, gera a famosa proibição de verão, mas no final é nosso skate aparecendo mais na mídia.

Rony Gomes

Uma prova disso é um clube tradicional de futebol como o Corinthians investir e patrocinar uma “atleta” de skate.  Quem assistiu o mundial de vertical (a final passou em tv aberta no último dia 03) viu o Rony Gomes competindo com a camisa do Corinthians foi no mínimo diferente e chamou a atenção, eu pessoalmente costumo sempre ficar observando que marca patrocina o atleta, qual camisa ele está usando, qual tênis, a marca de joelheira e até os adesivos no capacete e ver uma camisa do Corinthians no meio das marcas de skate me chamou a atenção.

Mas podemos pensar que o Corinthians estar patrocinando o atleta agora que ele está dando resultado é mais fácil, estão aproveitando a imagem do rapaz para divulgar ainda mais a marca em um setor nunca explorado, é verdade, mas por outro lado, repito, é nosso skate aparecendo mais na mídia. Só espero que o clube não abandone o atleta para cortar custos igual ocorreu com atletas de natação a pouco tempo.

Como falei no começo, é muito difícil um brasileiro resolver tudo por aqui, quando estava pesquisando sobre o Rony para escrever esse post encontrei uma entrevista feita no ano passado em que ele destacava que “um skatista brasileiro não consegue evoluir se não viajar”, sendo assim, cansado de viajar para treinar, com o apoio do patrocinador ele construiu a única pista de half-pipe do Brasil dentro dos padrões internacionais de competição em Atibaia-SP.

Vídeo muito legal sobre a construção da rampa de Atibaia e lembrando da rampa do Cristiano Mateus da Ultraskate:


“O governo poderia ajudar mais a gente, já provamos de uma vez por todas que o skate não é coisa de marginal.” – Rony Gomes

Quem quiser conhecer um pouco mais o Rony Gomes e ler a entrevista completa é só clicar AQUI.

Gostou do Post? Compartilhe:

Deixe seu comentario